Notícias

Voltar

Rastreio aos lares do Porto já foi alargado a instituições para cidadãos com deficiência e sem-abrigo

Fotografia

Além das 3500 pessoas que já foram testadas nos lares da cidade e do programa continuar por mais alguns dias, até todos estarem rastreados, a Câmara do Porto, com o apoio dos Agrupamentos de Saúde da cidade, estendeu a ação às instituições dedicadas a cidadãos com deficiência e a pessoas em situação de sem abrigo.

Fonte: Porto.

Autor: Porto. 

Data: 16 de abril

 

O rastreio completo aos lares da cidade inclui todos os utentes e funcionários, independentemente de qualquer cadeia de contágio conhecida e de apresentarem ou não sintomas e inclui soluções de retaguarda para acolher os idosos que deixem de poder contar com o lar onde estavam. Trata-se de um programa único até ao momento em Portugal, pela sua dimensão e testagem sistemática e já rastreou mais de 3500 pessoas.

Várias instituições que tratam de cidadãos com deficiência pediram ao município para também serem alvo de testes, que começaram no passado dia 14 e já rastrearam mais de 230 pessoas, entre os quais algumas em situação de sem-abrigo.

Para ler mais, carregue aqui.